“De que lugar?” por três quebradeiros da pesada

De que lugar – Por Claudina Oliveira

Ela caminhava molenga, úmida entre as coxas, sob o calor de trinta-e-nove-graus, naquele bairro, num domingo de início de mês, onde o povo se movimenta freneticamente pra comprar comida e quinquilharias. Quando entrou numa das empoeiradas lojas, ficou pasma com a franca-indiferença dos balconistas diante do mormaço e da obrigação de estarem ali, em pleno-domingo-de-descanso, maceradas naquele frenesi.
Eram ruas movimentadas de carros, ônibus, bicicletas e motocicletas. Faixas pintadas com letras azuis-preto-vermelho-e-amarelo atravessavam as ruas, anunciando mais um baile funk. Rádio de poste gritava a promoção de carne seca e picolé de coco. E mais lojas se erguiam nas ruas estreitas, entulhadas de lixo, com seus animais pestilentos e magros em busca de restos.
Aquele-progresso-desordenado sob uma tarde de inverno com temperatura de verão lhe causava muita inquietação. Se perguntava desesperadamente da-sua-importância-dentro-daquele-contexto.

Ela usufruía daquele movimento contínuo de luta pela sobrevivência.
E lá ia caminhando dentro do vestido-de-tricoline-estampado-de vermelho-e-azul,  comprado numa loja de departamentos fresca de ar condicionado com propaganda na TV. Sua nuca suava debaixo de encorpados fios de cabelos cuidadosamente-pranchados-por-uma-robusta-cabelereira-não-sindicalizada,  num salão próximo à sua casa. E mesmo assim ela-queria-estar longe-dali, daquele vai e vem de gente que trabalha loucamente para consumir pantominas e breguelés, do progresso do mundo que gira, se aquece e se inunda de destroços e fantasias.
Talvez ela se esquecesse de tudo, e se dirigisse pra oito quilômetros dali, mergulhasse numa cachoeira, mesmo apinhada de gente, da mesma gente.

 

A Cidade Mais Linda Do Mundo – Por Delano Valentim

eu passei a virada do ano na cidade mais bonita do mundo. na praia mais linda da cidade mais bonita do mundo. onde tem o povo mais simpático e mais sexy do mundo. que coincidentemente é o povo que mais copula e que mais trai no mundo. onde tem as mulheres mais lindas do mundo. onde tem a maior festa popular do mundo. onde tem o time de futebol que tem a maior torcida no mundo (fato). onde tem o povo mais feliz do mundo. onde tem a queima de fogos mais linda do mundo. tudo aqui é o melhor do mundo. não sou eu quem diz. são as pesquisas. fiquei na areia vendo aquela profusão de alcoólicos em alegria histérica.  rolando na areia e no final parecendo bife a milanesa. abrindo champanhe dentro da água e gritando. eu sou feliz. como se para que a sentença se tornasse verdadeira fosse necessário repeti-la. um gringo. não me contive de tanta felicidade… ai. ai… realmente adorei o show. e a lua. e depois a queima de fogos com a trilha sonora formidável. e as propagandas da prefeitura com os principais artistas da cidade me convenceram de que vivo numa cidade maravilhosa. as pessoas no alto dos prédios admiravam a queima de fogos, como se dissessem para aqueles que estavam embaixo, temos uma visão melhor que a de vocês. e as pessoas nos transatlânticos admiravam de longe, e pareciam querer repetir a mesma frase de camarote. deviam se sentir salvas separadas por quilômetros de água daquela muvuca. eu também queria estar lá. num navio daqueles. só para que a gente não tivesse dúvidas de onde estávamos. vi alguns crackudos trombando as pessoas na areia com esperança de arrancar alguma coisa dos seus bolsos. e confesso que cavoquei o chão com os pés a procura de algum objeto perdido. um gringo alcoólatra caia em minhas costas. enquanto a minha mina sussurrava em meu ouvido. feliz ano novo…

 

Cidade de Deus – Por Valéria Barbosa

Te conheci em 1964,
Quando modifiquei a minha vida
E passaste a fazer parte dela.
Vinhas de uma favela que muito
Amava e para surpresa
Não achei favela e sim,
Uma linda cidade.
Cidade que plantei o amor,
Cidade que lágrimas deixei rolar,
cidade que abraça os amigos,
Os ancestrais dos meus filhos;
Te quero ver reluzir, seja
Na Sapucaí, seja na educação,
seja na arte que envolve o teu povo,
seja através dos idosos, das crianças,
seja através da luz do amor.
Cidade que alimenta com a tua vida.
Quero-te no monte mais alto, como Moisés,
A proteger a tua vida. Oh! Minha Cidade Querida,
Devo-te este afago, poetar-te é um prazer,
Viver em paz contigo, obrigação de pessoa.
Quero mais vida ter para poder em ti plantar
Os versos de quem te ama e que vive a sonhar
Que serás um dia prosa, notícia cheirando a
rosa e falarás aos senhores que em ti moram
doutores, população vencedora que sobrevive
às criticas sem um programa solucional.
Já podes criticar.

 

11 comentários sobre ““De que lugar?” por três quebradeiros da pesada”

  1. Muito bom seu texto! Se todo mundo usasse a rede para compartilhar Belos textos e belas ideias as as redes sócias estão contaminas co um tal de pseudo-realismo,que da o direito aos “Amigos” a me enviar imagens violentas como se eu não soubesse que a violência campeia em nosso meio. Lindo obrigado

    CIDADE GRANDE

    Cidade grande! Tem gente de tantas terras,
    Tem sonho de tanta gente,
    Que chega a tocar na gente
    O sonho que o outro sonhou.

    Cidade grande!
    Tem gente que aqui trabalha
    Mas tem saudade da palha,
    Da terra batida, e do amor.

    Cidade grande!
    Tem gente de tão distante,
    Tem gente que é imigrante,
    Até de outra nação.

    Cidade grande!
    Acolhe tanto afluente
    Dos rios de tanta gente
    Que vem aqui desaguar
    E traz na mala mil sonhos
    Com sonho de realizar.

    Rio de Janeiro!
    Acolhe como amigo
    Esse meu povo sofrido,
    Que vem para cá trabalhar,
    Cansado de apanhar.

    A dor que bate nas portas dessa cidade.
    É a dor de tanta saudade
    Do povo que imigrou.

  2. Que delícia de crônica, Claudina! Já conhecia seu talento no palco, mas não imaginava que o tinha também nas letras. Com grata surpresa observo uma escritora revelando, com sensibilidade e sutileza, a realidade existente por tràs de uma cena aparentemente banal. Deixou u gostinho de “quero mais”. Parabéns!

  3. Claudina adorei sua crônica, ela nos leva a uma realidade bem coesa. Esperamos que outras mas venha elevar nossos espíritos e engrandecer nossa alma de poeta!

  4. Claudina adorei sua crônica, ela nos leva junto nessa busca, nesse trâmite cheio de resquícios e, dentro de um cotidiano verdadeiro. Parabéns que continue a nos engrandecer com suas entre linhas.

  5. Claudina,
    seu micro-conto me deu um grande prazer ao lê-lo.
    Há ação o tempo todo, contudo, não há julgamento de valor (Bem ou Mal) por parte do personagem (ELA) central e sim pelo narrador, o que demostrou q o conto tanto foi escrito por quem conhece bem a realidade, porque é das Quebradas, quanto por quem apenas vê e percebe de longe a movimentação das Quebradas (q é a foma de chamar as comunidades, as periferias em São Paulo). À vezes é preciso estar de fora pra ver TODO e em outras, é preciso estar DENTRO pra perceber as nuances. Difícil é juntar as duas visões em uma só, concatená-las, com maestria. Isso você conseguiu neste micro-conto. Lembro das duas versões de “5 vezes favela”, se bem q a primeira, da década de 1960, tinha um olhar externo mais clichê, apesar dos grandes cineastas, já a segunda, feitas pelo próprios personagens, trouxe outro ângulo, de forma que, se juntar as duas, você terá a real dimensão do tema, o clichê faz parte da forma q alguns conseguem ver, por isso também é importante. Seu micro-conto tem os clichês necessários e precisos saídos da boca do narador e o personagem apenas sentem caminha de sua forma original. Parabéns!!! escrever é cortar palavras!!!! gostei mesmo. Euclides Amaral

  6. Ops…. Mandei o anterior sem a correção…
    rsrsrs esse aqui é o que tá valendo!
    Assim… Trago minha contribuição pela reflexão através de minha obra poética musical…

    Herói da Comunidade
    Autor: Feijah’N
    2008

    Estamos num mato sem cachorro
    Pra todo lado só horrores
    Seja no centro ou subúrbio da cidade
    Dentro do lar tem um tesouro
    A mãe que sofre pelo filho
    Sem reclamar… Vem dela o valor do homem
    Que desperta e revela seu poder
    De artista, corredor… Astronauta, jogador…
    Vão à luta, sobrevivem, dão exemplo…

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Mesmo havendo o opressor
    Sim reconheça seu valor
    Pois aquilo que não te mata fortalece!
    E se há juras de amor
    Ter o cuidado é muito bom
    Pare e reflita o que a pessoa tem no íntimo
    Na madrugada toda gata é como lebre…
    Seja malandro, fuja disso, pois entende…

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!
    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

  7. Trago minha reflexão através de minha obra poética musical…

    Herói da Comunidade
    Autor: Feijah’N
    2008

    Estamos num mato sem cachorro
    Pra todo lado só horrores
    Seja no centro ou subúrbio da cidade
    Dentro do lar tem um tesouro
    A mãe que sofre pelo filho
    Sem reclamar… Vem dela o valor do homem
    Que desperta e revela seu filho seu poder
    De artista, corredor… Astronauta, jogador…
    Vão à luta, sobrevivem, dão exemplo…

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Mesmo havendo o opressor
    Sim reconheça seu valor
    Pois aquilo que não te mata fortalece!
    E se há juras de amor
    Ter o cuidado é muito bom
    Pare e reflita o que a pessoa tem no íntimo
    Na madrugada toda a gata é como lebre…
    Seja malandro, fuja disso, pois entende…

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!
    Seja um herói, seja um herói, seja um herói… Da comunidade!

    É lutando que nos podem dar
    Um orgulho para todos da comunidade… } Refrão
    Evitando sucumbir… Jamais!
    Realizando seus sonhos… Na comunidade

  8. Senti vontade de me ausentar, de fugir de um lugar assim. O texto está muito bem escrito. Remeteu-me a rotina diária de um trabalhador que deseja que seu dia tenha mais brilho, mas motivações, não a mesma rotina e pasmaceira de sempre.
    Belo e verdadeiro.
    Beijos Cláudia.

Deixe uma resposta