E-Cine Clube Virtual – Abril

Com vocês o cineclube virtual comandado pelo quebradeiro Tetsuo Takita.

Olá UQuebradeiros, gostaria de homenagear a professora Elisa Larkin, citando o filme Django Livre, do diretor americano Quentim Tarantino, que este ano concorreu ao  Oscar de melhor filme, mas levou o de roteiro original.  Afinal todos nós somos americanos, sul americanos, só muda o “norte”.

Mas como aqui o lance é virtual, podemos assistir o curta brasileiro Xadrez das Cores, que trata do mesmo tema e tem no elenco Anselmo Vasconcellos, que já atuou em mais de 50 filmes. Anselmo Vasconcellos foi diretor da Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Penna (a mais antiga da América Latina e que este ano completa 105 anos) a qual frequento, com prazer, desde 2008.

Xadrez das cores, 2004, dir. Marco Schiavon, 22min:

http://portacurtas.org.br/filme/?name=o_xadrez_das_cores

Numa época absurda como a nossa, onde no Brasil se elege um deputado racista, misógino e homofóbico para um cargo de diretor da comissão de direitos humanos é importante olhar para trás, em um passado recente, até mesmo filósofos admiráveis expunham seus odiosos pré-conceitos racistas. Cabe a nós transformar isto com o conhecimento!

Vamos comentar lembrando que a cada edição do e-cine clube virtual será escolhido um comentário aqui no site da UQ para ganhar um prêmio que será entregue nas aulas.

Vida muito longa aos corajosos!!!

Ass: Tetsuo Takita
www.e-cineclube.blogspot.com

 

13 comentários sobre “E-Cine Clube Virtual – Abril”

  1. Galera fiquei um pouco ausente pois tive um acidente que me deixou internado para cirurgia do dia 6 de mai até 16 de maio mas já estarei de volta. AGRADEÇO A TORCIDA E OS EXCELENTES DEBATES AQUI GERADOS PELO FILME e venho anunciar que os comentários escolhidos para receber o prêmio de abril AQUI NO E-CINECLUBE VIRTUAL FORAM OS DO NOSSO PARCEIRO LUCAS LEAL!!!! PARABÉNS, MANINHO!!!

  2. Achei o curta de uma simplicidade e objetividade incríveis.
    Nunca vi temas tão polêmicos serem abordados de uma maneira tão impressionante. Só achei que a parte do aborto poderia ter sido melhor abordada, passou um pouco superficial demais, mas deu para mostrar as dores psicológicas que o mesmo pode vir a causar.
    Acho que a mensagem de humildade, igualdade e paz foram passadas com louvor e o elenco foi escolhido brilhantemente.
    Sinceramente, foi uma sacada genial essa do Xadrez. No mínimo Genial.
    Abraços 🙂

  3. Achei o curta de uma simplicidade e objetividade incríveis.
    Nunca vi temas tão polêmicos serem abordados de uma maneira tão impressionante. Só achei que a parte do aborto poderia ter sido melhor abordada, passou um pouco superficial demais, mas deu para mostrar as dores psicológicas que o mesmo pode vir a causar.
    Acho que a mensagem de humildade, igualdade e paz foram passadas com louvor e o elenco foi escolhido brilhantemente.
    Sinceramente, foi uma sacada genial essa do Xadrez. No mínimo Genia.
    Abraços 🙂

  4. Sei não Takita… aborto é um tema complexo mesmo! Temo pela banalidade. Mas concordo, proibir nunca é um bom caminho. Estou falando filosoficamente da coisa, eu sou contra… mas não sou contra quem faz. Acho que cada um escolhe seu caminho…

  5. Jussara (o longa Xeque Mate que vc postou mostra o quão fascinante é o Xadrez e o quanto ele se parece com a vida) , Leda, Bebel minhas talentosas e generosas amigas. Vou dar mais pano pra manga no nosso assunto!
    Ele (Anselmo Vasconcellos) esteve recentemente abrindo a aula inaugural da turma de teapia ocupacional com Numa Ciro a convite do nosso amigo da UQ, professor neurocientista José Otávio. E também para elucidar estas questões RACISTAS o link de um artigo maravilhoso:

    Eurocentrismo e racismo nos clássicos da filosofia e das ciências sociais. Por Walter Praxedes
    http://www.espacoacademico.com.br/083/83praxedes.htm

  6. Um filme que apesar de tratar temas tristes como o racismo,o aborto e a violência,consegue ser leve ,bem humorado e vai mostrando como a intolerância e o preconceito podem ser combatidos com uma postura digna.
    O quintal de terra com banquinho e aqueles tabuleiros de xadrez improvisados foi genial!
    As crianças brincando naquele cenário que me fez lembrar a casa de minha avó, onde eu brincava com bola de meia e bruxinha de pano.
    A cena onde as duas compartilham a mesma dor da perda de um filho cada uma a seu modo evidencia o sofrimento da mulher que foi obrigada a abortar, violência imposta pelo marido.E a que perdeu o filho por imposição de seu meio social.
    A música escolhida para trilha sonora é perfeita.Os acordes daquela linda melodia vão se somando à delicada interpretação das atrizes .O diálogo através da movimentação das peças no final do filme me encantou .
    Valeu,Tetsuo!

  7. Um tema bem complexo. Que realmente atinge a humanidade. Elenco de primeiro escalão. Nossa saudosa MYriam Pires atuou com perfeição. Consegui visualizar várias senhoras reais que têm a postura igual. E quanto ao roteiro, que usou o jogo do xadrez para desenvolver a história foi muito feliz. Verdade que é um jogo de sábios. E já tive oportunidade de assistir outro filme , produção europeia: http://www.youtube.com/watch?v=B0xVI3p7YXE, que mostra a diferença social resolvida com aprendizagem dele. Mas o filme O XADREX DAS CORES mostra as nossas realidades. Minha opinião MARAVILHOSO. Parabéns para o nossa amado Tetsuo Takita (é o Glauber das UQ, e como tal, polemico…rs)

  8. Lucas, o seu comentário é muito relevante. Embora sobre aborto, penso diferente mesmo tendo irredutível respeito a vida de todos os seres em formação ou encarnados. Uma vez até escrevi uma crítica sobre isso. São inúmeros os os dados que comprovam mortes de jovens em consultórios clandestinos fazendo aborto, ou mesmo em casa pela falta dumaseguridade do Estado que não prevê a possibilidade disso. Um tabu que precisa urgentemente ser abordado.

  9. Xadrez das cores,xadrez da vida,xadrez o jogo.Mudar a situação sempre de acordo com a possibilidade,e foi isso que a doméstica fez se colocou, não abaixou a cabeça e foi a luta.Eu também detesto criança com arma,nunca deixo meu filho brincar nem com arma que sai água, ele já ganho um boneco com arma e eu joguei fora, só a arma.

  10. Impressionante! Foram muitos temas levantados… em relação ao aborto… queria me posicionar contra! Por vários motivos, mas na atualidade, temos como prevenir isso. Se acontecer mesmo prevenindo, acredito no destino. Então, independente de qualquer coisa, acho que é um tema muito complexo e foi pouco debatido no filme. Em relação a discriminação que a senhora tem em relação a sua assistente do lar… acho que é um problema ainda persistente na nossa sociedade. Sinto tristeza quando lembro da escravidão… e sempre lembro que é um processo histórico, mas com os negros foi tão recente que ainda sinto náuseas ao pensar na situação. Tem medo de guerras… o filme passa mensagem de paz, humildade, e é disso que precisamos, além de amar o outro conforme gostamos de ser amados! abraços * esse projeto é tudo de bom.. parabéns quebradas! mais um GOL

Deixe uma resposta