Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro – Curta Cinema

Em 2011 o Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro – Curta Cinema chega a maioridade, completando 21 anos de existência. O Curta Cinema é o principal festival latinoamericano de caráter competitivo, exclusivamente dedicado ao curta-metragem, sendo o único Festival no Brasil a qualificar anualmente 1 curta nacional e 1 curta estrangeiro a pleitear uma indicação ao OSCAR ©.

Através das Atividades Paralelas, o festival reafirma o seu comprometimento com as questões que originaram as Leis de Incentivo governamentais, responsáveis pela viabilização deste e de tantos outros eventos culturais em nosso país. O Curta Cinema é consciente de que sua realização é fruto de um investimento de todos em um bem comum – a cultura; e a democratização desta é a grande meta do Festival.

Abaixo seguem informações dos debates e workshop que irão acontecer na a 21ª edição do Curta Cinema será realizada no período de 27 de outubro a 6 de novembro.

Workshop de Direção

29 e 30/10 – 14h – Caixa Cultural, Cinema 2
O Workshop de Direção chega à sua 11ª edição, contando, ao longo desta última década com a presença de grandes diretores do cinema nacional. Este ano, teremos a honra de contar com a participação do diretor Walter Lima Jr., colecionador de sucessos desde os anos 60, diretor de “A Ostra e o Vento”, “Lira do Delírio”, “ Brasil Anos 2000”, entre outros.

Trata-se de uma oportunidade para novos realizadores dialogarem com um diretor que falará da sua experiência profissional, das suas idéias e de seu método de trabalho.
Esta atividade é gratuita e aberta à participação do público. Garanta sua vaga se inscrevendo pelo site www.curtacinema.com.br . Sujeito a lotação da sala.

Debate: O Cinema que se Faz Pelas Bordas

29/10 – 15h – Centro Cultural da Justiça Federal
Mediação: Paulo Roberto Junior
Participantes: Joel Caetano, Gelson Santana e Duda Leite
O cinema de bordas se concentra em narrativas de ficção fantasiosas e produzidas com técnicas rudimentares, abordando assuntos e lendas que dizem respeito aos habitantes e costumes dos locais de sua produção. Os filmes de bordas oscilam entre a cultura popular e a cultura midiática e são feitos com tecnologia precária e baixíssimo orçamento. Fazem uso dos gêneros: faroeste, horror, ficção científica, comédia, e outros, misturando tudo, sem preconceito e se aproveitando de situações, cenas, imagens e sons já usados em outros filmes e produtos de entretenimento. São exibidos de modo caseiro, em salas improvisadas ou mostras específicas. Contando com a presença de diretores e pesquisadores, o presente debate refletirá sobre essa forma alternativa de se produzir cinema.

Paulo Roberto Junior, membro do comitê de seleção do Curta Cinema, Mestre em Filosofia Política e Professor de Filosofia.
Joel Caetano, profissional de cinema e vídeo, escreve, produz, dirige, atua e finaliza seus próprios filmes.
Gelson Santana, doutor em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes (ECA)/ USP . Organizou com Bernadette Lyra as mostras “Cinema de bordas” (2006); “Cinema de bordas 2” (2008) entre outros.
Duda Leite, sempre esteve ligado a cultura pop e a produção áudio-visual. Em 1994 dirigiu seu primeiro curta e agora apresenta seu primeiro longa, Tikimentary – Em Busca do Paraíso Perdido.

Mesa-Redonda: Da Captação à Exibição – O Curta na Era Digital

01/11 – 17hrs – Caixa Cultural, Cinema 2
Mediadora: Lia Bahia
Participantes: Adriana L. Dutra, idealizadora da plataforma de negócios MediaFundMarket, Talita Arruda, curadora e editora do Porta-Curtas e Marianna Rhosa, produtora do CEL.U.CINE
O desenvolvimento da tecnologia digital está promovendo transformações na cadeia cinematográfica e na maneira com a qual nos relacionamos com o produto audiovisual. Para além dos editais, leis de incentivo e da alta competitividade das telas tradicionais, surgem novas alternativas para captar recursos, produzir, distribuir e exibir obras audiovisuais. Este debate pretende agregar novas idéias, expandindo o potencial de inserção do curta-metragem.

Encontro Regional da ABD – CURTA EM TODAS AS TELAS

02/11 – das 17 às 20h – Caixa Cultural, Cinema 2
A Associação Brasileira de Documentaristas e Curtas-metragistas do Rio de Janeiro, ABDeC-RJ, realiza em sua segunda parceria com o Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro o encontro CURTA EM TODAS AS TELAS.
Este projeto foi realizado pela ABD Nacional, propondo a atualização das políticas públicas e da interação entre os agentes da cadeia produtiva do audiovisual de todo país, a fim de estabelecer novas iniciativas voltadas à comercialização e à exibição de filmes de curta duração, produzidos por produtores independentes brasileiros.
Os focos da nova estratégia residem em uma ação que contempla todas as janelas de exibição – da sala de cinema à internet –, novos modelos de negócios e uma constante valorização do produto perante toda a sociedade.
Compondo a mesa teremos os diretores da ABD Nacional Daniela Fernandes (MG) e Dario Gularte (RJ), além de representantes de emissoras de TV e Web, operadoras de telefonia celular, exibidores de salas de cinema.

Debate: A Ficção e as Fronteiras Culturais no Cinema

03/11 – 19h – Centro Cultural da Justiça Federal
Mediador: José Carlos Monteiro
Participantes: Paulo Halm, Sergio Rezende e Luciana Bezerra
Quando pensamos em um cinema que se presta a retratar diferentes culturas, normalmente nos remetemos ao formato documentário. No entanto, ao criar personagens empáticos a ficção aproxima do público uma realidade que, apesar de poder estar geograficamente próxima, muitas vezes se encontra emocionalmente distante. O presente debate tem o objetivo de discutir a ficção como uma ferramenta emotiva dentro do discurso cinematográfico.

José Carlos Monteiro, mestre em Ciência da Arte e doutorando em Comunicação, leciona as disciplinas História do Cinema Mundial e Crítica Cinematográfica na UFF
Paulo Lins, escritor e roteirista, autor do livro Cidade de Deus, Quase Dois Irmãos e Faroeste Caboclo
Paulo Halm, roteirista e diretor de cinema com curtas e médias-metragens premiados, como Retrato do artista com um 38 na mão e O resto é silêncio.
Sergio Rezende, diretor e roteirista de sucessos como Salve Geral e Lamarca
Luciana Bezerra, coordenadora do Núcleo de Cinema Nós do Morro , dirigiu os curtas Mina de Fé e Acende a luz, um dos episódios do longa Cinco vezes favela – agora por nós mesmos.

Fonte: EcoPress

Foto: “Cinema…” por m4tik – CC BY-NC-SA 2.0

Deixe uma resposta