Metodologia

A metodologia usada no projeto Universidade das Quebradas é experimental e, portanto, flexível, sujeita a alterações em função da respostas dos participantes.

Os pontos inovadores dessa metodologia são determinados pelo conceito que rege o projeto que é o conceito de ecologia de saberes, desenvolvido ainda que de maneiras diferentes por Felix Guattari e Boaventura de Souza Santos. Por ecologia de saberes estes autores entendem o equilíbrio sistêmico entre as diversas formas de saberes vernaculares e acadêmicos, (científicos e técnicos) e a longa trajetória histórica de silenciamento de certos saberes não formais por outras formas dominantes de conhecimento.

Para restabelecer o equilíbrio sistêmico de uma ecologia de saberes, trabalhamos baseados na troca de conhecimentos, numa produção compartilhada de conhecimento e na afirmatividade do que Pierre Levy nomeou como inteligência coletiva.

Assim , oferecemos aulas expositivas com o currículo de humanidades em nível de graduação (conferir o programa em anexo) associadas ao que chamamos de território das quebradas, seminários oferecidos pelos alunos sobre a estética da periferia, a história das comunidades a que pertencem e os paradigmas de conhecimento utilizados nas culturas das favelas e periferias. Essa troca vem estabelecendo uma dinâmica pedagógica bastante particular que abre horizontes para novas formas de produção de conhecimento menos especializados e mais produtos de articulações culturais inovadoras. O resultado tem sido acima das expectativas apesar de termos consciência de que essa metodologia tem as características de um laboratório metodológico passível de mudanças a cada passo.

Quanto às aulas definimos também um formato novo de apresentação. As aulas, de 3 horas e meia de duração, são compostas por dois momentos distintos. Um primeiro, de 1hora e meio, no qual o professor expõe o núcleo de seu tema. Seguido de 1hora e meia de explicações complementares, perguntas, debates e comparações interculturais.

Essas aulas são precedidas de leituras e indicações de filmes ou obras afins relativas ao tema das aulas e disponibilizadas com antecedência no site Universidade das Quebradas. As aulas são gravadas e disponibilizadas no site para consulta dos alunos e interessados.

Semanalmente os alunos tem ainda uma oficina de linguagem e expressão oferecida num programa especialmente criado para a Universidade das Quebradas pelo Telecurso Segundo Grau, a partir de um convênio que estabelecemos para 2012 com a Fundação Roberto Marinho.

Durante todo a duração do projeto distribuímos questionários para os alunos avaliarem os resultados de nossa metodologia, e, em função das repostas a esses questionários, tentamos “realinhar” nossas ações . É essa flexibilidade e disposição para a mudança recorrente , associada ao compromisso com o compartilhamento de saberes, o diferencial inovador deste projeto.

9 comentários sobre “Metodologia”

  1. Parabéns pelos idealizadores desse projeto. Promover ações que potencializem os saberes/fazeres de grupos da periferia é no mínimo minimizar a dívida histórica que toda a sociedade tem com este segmento social. Mais uma vez Parabéns!!!

  2. É um curso de vida, que me atingiu para dar mais importância aoo crescimento do seR, visto por todos os ângulos do sabeR da vida artística. Entendo que não vamos para ser descobertos na área profissional. Somos e-levados para o sabeR do entendimento da cidadania humana cultural.

    1. Severino, venha assistir uma aula de ouvinte. Toda terça feira, começa no dia 5 de março. Na Av. Rui Barbosa, Flamengo.

  3. Achei linda a proposta e gostaria de ver mais de perto. Seria possível? De qualquer forma, parabenizo pela linda iniciativa!

  4. Maravilhoso esse projeto,com a interdiciplinalidade dos temas.Com isto podendo gerar grandes idéias.

Comentários estão fechados.