Pós-aula: Linguagem e Expressão

Iniciando o encontro nas quebradas, a professora Sandra Portugal apresentou um comentário da nossa querida Angela Carneiro: “A Emília de Monteiro Lobato é uma personagem que me acompanha até hoje e bobeou, toma a palavra”.

Considerando o debate atual sobre a obra de Monteiro Lobato, Sandra afirmou que as leituras se perpetuam em nossas vidas, e que se sente beneficiada por pertencer a uma geração que foi influenciada pela produção de Monteiro Lobato.

Para complementar esta discussão não deixe de assistir o vídeo do programa Livros que amei com Hermano Viana falando sobre o Minotauro de Monteiro Lobato.

Veja também o material completo apresentado na aula, no PPT a seguir.

 

(Por: Wanda Lúcia Batista Bolsta PIBEX –Fac. de Medicina UFRJ- T.O)

 

4 comentários sobre “Pós-aula: Linguagem e Expressão”

  1. Crônica sobre a aula de 09 de Out 2012
    LINGUAGEM E EXPRESSÃO
    Crônica escrita em 10 de OUTUBRO de 2012)
    Analisando a aula de Linguagem e Expressão dirigida pela ‘maestra’ Sandra Portugal percebi que a nossa turma entrou em contato mais argucioso na reflexão e percepção da ideia de análise textual sugerida a cada grupo. Todos envolvidos numa análise textual mais visceral, ainda que menos intuitiva, a quebra dos valores e conceitos interiores predeterminados levou-nos à saída da zona de conforto. Com o confronto reflexivo nos termos dos textos abordados cada grupo expressou as diferentes opiniões, saindo dos lugares comuns.
    Interessante ainda foi que na aula que antecedeu a de Linguagem e Expressão, nossa querida Beá Meira também propôs dissertações e debates analíticos sobre as imagens e textos concernentes ao período Romancista.
    Uma total busca no saber buscar na oralidade e entendimento de argumento na quebra de paradigmas!
    Assim… Com a batuta do entendimento deixemos a sabedoria nos guiar!
    Por: Feijah’N

  2. Crônica sobre a aula de 09 de Out 2012

    LINGUAGEM E EXPRESSÃO

    Crônica escrita em 10 de OUTUBRO de 2012)
    Analisando a aula de Linguagem e Expressão dirigida pela ‘maestra’ Sandra Portugal percebi que a nossa turma entrou em contato mais argucioso na reflexão e percepção da déia de análise textual sugerida a cada grupo. Todos envolvidos numa análise textual mais visceral, ainda que menos intuitiva, a quebra dos valores e conceitos interiores predeterminados levou-nos à saída da zona de conforto. Com o confronto reflexivo nos termos dos textos abordados cada grupo expressou as diferentes opiniões, saindo dos lugares comuns.
    Interessante ainda foi que na aula que antecedeu a de Linguagem e Expressão, nossa querida Beá Meira também propôs dissertações e debates analíticos sobre as imagens e textos concernentes ao período Romancista.

    Uma total busca no saber buscar na oralidade e entendimento de argumento na quebra de paradigmas!
    Assim… Com a batuta do entendimento deixemos a sabedoria nos guiar!

    Por: Feijah’N

  3. Bom saber que não estamos só. A loucura existe principalmente em quem acredita no outro… E encontramos escritores que constroem suas personagens acreditando nos outros!
    Indo para o temo “Livros que amei”, hoje é tão difícil para recordar e até mesmo ler, quando optamos por viver aprendendo várias linguagens (artes plásticas, cinema, comunicação visual, entre outros). Guardo os títulos e escritores na memoria, mas suas histórias estão guardada no lado “direito” do cérebro. Não podemos ter tudo. Motivo pelo qual fico vendo os filmes.

  4. Encontros de olhares e manifestação de senilidades porreta. Leitura que ecoa em outras formas de expressar o realismo de uma época.Nos remete a várias escritas,traços de uma fisionomia do Rio Antigo,seus crescimentos, meselas, ironias. Que pode ser transformada em esculta gentis,porém crítica. Aventura da Liberdade de expressão é uma exposição corajosa. Poderoso espaço de investigação, pesquisa, e troca Sandra cria o respeito , diversidade,opinião, que emancipam o leitor.Teatro, musica,leituras abertas ao comentário, arte plástica é sempre um exercício de pensar,apoderar-se da leitura. Marca inovadora das quebradas criando o desafio de olhar para a literatura brasileira que revela sua sociedade e contradições.O mais interessante é o espaço democrático, exercício livre crítico da fala. Acolhedor ambiente promove saraus,criatividade, amadurecimento. Parabéns Quebradeiros!

Deixe uma resposta