Pré aula 1 – E tudo começou na África – Profª Elisa Larkin Nascimento

Atenção toda comunidade Quebradeira!

Depois de um tempo com o site fora do ar em manutenção, a Universidade das Quebradas volta com força total! Logo abaixo estão as atividades da nossa primeira aula no dia 10/03/2015 com a Profª Elisa Larkin Nascimento. Confira!

Comente a aula e a compartilhe para as redes sociais! Ajude outros a acessarem nosso conteúdo. #compartilhaUQ

Que venha 2015 porque estamos fervendo!

 

Pré-aula – 10 de Março de 2015

Sala do PACC – Faculdade de Letras – UFRJ – Fundão

10:00 às 10:30            Matrícula

10:30 `as 11:15           Apresentação do projeto e atividades de integração

11:30 às 12:00            Reconhecimento da LETRAS – UFRJ – visita aos espaços

12:00 às 13:30            Almoço – Bandejão

14:00 às 16:00          Palestra: E TUDO COMEÇOU NA ÁFRICA – Profª  Elisa Larkin Nascimento – IPEAFRO

Textos anexos para leitura:

– Antiguidade Africana

– A Disciplina Estudos Africanos

16:00 às 16:15            Café e biscoitos

16:15 às 18:00            Oficina sobre a Escrita Literária – Profª Martha Alkimin – UFRJ – Encontro 1

8 comentários sobre “Pré aula 1 – E tudo começou na África – Profª Elisa Larkin Nascimento”

  1. Ao pesquisar o significado da palavra ” Literatura” , realizei uma verdadeira viagem, pelo mundo das letras e palavras, e como ouvi em nossa aula passada, ler e escrever,significa emocionar-se e perceber o que vem do outro, que ali se expressa.
    Encontrei como exemplo: “A literatura é a arte de conferir novos significados às palavras. Por intermédio dela, o escritor extrapola sua realidade, transfigurando-a..”
    Segundo, Aristóteles “Arte literária é mimese (imitação); é a arte que imita pela palavra.” .
    Na emoção, também encontrei as publicações, da 1ª escritora ,brasileira e também negra, datado de 1859 (Úrsula) – Mª Firmina dos Reis e em 1960 – (Quarto de Despejo) – Carolina de Jesus.
    Ambas relataram a realidade em que viviam e produziram, a sua contribuição literária, quebrando um paradigma na época.

  2. Pensando sobre aula da Profª Martha Alkimin e seguindo sua sugestão reuni coragem e comecei a ler Memórias Póstuma de Brás Cuba, de Machado de Assis. A principio achei difícil, pois não conhecia muitas palavras, o que tem me obrigado ler com o dicionário de lado. Vencendo esse primeiro obstáculo achei uma passagem interessante que reproduzo aqui para os amigos quebradeiros ¨Cada edição da vida é uma edição, que corrige a anterior, e que será corrigida também, até a edição definitiva, que o editor dá de graça aos vermes¨ e eu amigos que pensava na palavra edição só em termo de editar o filmes. Que tola eu. Salve Machado de Assis.

  3. Em pouquíssimas palavras, pareceu-me que o “afrocentrismo”, conceito novíssimo pra mim, é uma espécie de fundamentação epistemológica que resgata saberes e valores já presente na África pré colonização européia. De importância fulcral tanto para os povos colonizados quanto para os colonizadores. Não se trata aqui de um etnocentrismo, pois não visa um encampamento, ou a re-territorialização da cultura africana em detrimento a européia, mas, reparar a fratura e os desgastes dos saberes e dos fundamentos historicos já há muito presente naquele continente, apagados pela violência colonialista. É indubitável a influência da mãe Africa e de uma cultura tão forte e tão realizadora no ocidente, de tal forma que é imprescindível o resgate de tais valores. Obrigado Profª Elisa Larkin Nascimento, pela belíssima aula. É uma pena não termos podido avançar.

  4. Ansiosa para recomeçar mais essa nova turma da UQ, como quebradeira da 5ª edição, só tenho a dizer que igual as Quebradas ainda não vi, curso muito gratificante, as trocas, os aprendizados coletivos, tudo isso de fato, remete a um modelo de univervisade que realmente queremos. Realmente vale a pena!! Já experimentei e assino embaixo, tanto que estarei de volta com tds, nessa nova turma. Que sejam muito bem vindos os novos quebradeiros!!!!!!Que seja muito bem vinda mais essa edição!!!

Deixe uma resposta