“Que cidade é essa?” – Por três quebradeiros do barulho!

Por Claudina Oliveira

Ela caminhava molenga, úmida entre as coxas, sob o calor de trinta e nove graus, naquele bairro, num domingo de início de mês, onde o povo se movimenta freneticamente pra comprar comida e quinquilharias. Quando entrou numa das empoeiradas lojas, ficou pasma com a franca indiferença dos balconistas diante do mormaço e da obrigação de estarem ali, em pleno-domingo-de-descanso, macerados naquele frenesi.
Eram ruas movimentadas de carros, ônibus, bicicletas e motocicletas. Faixas pintadas com letras azuis-preto-vermelho-e-amarelo atravessavam as ruas anunciando mais um baile funk. Rádio de poste gritava a promoção de carne-seca e picolé de coco. E mais lojas se erguiam nas ruas estreitas, entulhadas de lixo, com seus animais pestilentos e magros em busca de restos.
Aquele-progresso-desordenado sob uma tarde de inverno com temperatura de verão lhe causava muita inquietação. Se perguntava desesperadamente da-sua-importância-dentro-daquele-contexto.

Ela usufruía daquele movimento contínuo de luta pela sobrevivência.
E lá ia caminhando dentro do vestido-de-tricoline-estampado-de vermelho-e-azul, comprado numa loja de departamentos refrigerada pelo ar-condicionado com propaganda na TV. Sua nuca suava debaixo de encorpados fios de cabelos cuidadosamente-pranchados-por-uma-robusta-cabelereira-não-sindicalizada, num salão próximo à sua casa. E mesmo assim ela-queria-estar longe-dali, daquele vaivém de gente que trabalha loucamente para consumir pantominas e breguelés, do progresso do mundo que gira, se aquece e se inunda de destroços e fantasias.
Talvez ela se esquecesse de tudo, e se dirigisse pra oito quilômetros dali, mergulhasse numa cachoeira, mesmo apinhada de gente, da mesma gente.

 

A cidade mais linda do mundo 
Por Delano Valentim

eu passei a virada do ano na cidade mais bonita do mundo. na praia mais linda da cidade mais bonita do mundo. onde tem o povo mais simpático e mais sexy do mundo. que coincidentemente é o povo que mais copula e que mais trai no mundo. onde tem as mulheres mais lindas do mundo. onde tem a maior festa popular do mundo. onde tem o time de futebol que tem a maior torcida no mundo (fato). onde tem o povo mais feliz do mundo. onde tem a queima de fogos mais linda do mundo. tudo aqui é o melhor do mundo. não sou eu quem diz. são as pesquisas. fiquei na areia vendo aquela profusão de alcoólicos em alegria histérica. rolando na areia e no final parecendo bife à milanesa. abrindo champanhe dentro da água e gritando. eu sou feliz. como se para que a sentença se tornasse verdadeira fosse necessário repeti-la. um gringo. não me contive de tanta felicidade… ai. ai… realmente adorei o show. e a lua. e depois a queima de fogos com a trilha sonora formidável. e as propagandas da prefeitura com os principais artistas da cidade me convenceram de que vivo numa cidade maravilhosa. as pessoas no alto dos prédios admiravam a queima de fogos, como se dissessem para aqueles que estavam embaixo: temos uma visão melhor que a de vocês. e as pessoas nos transatlânticos admiravam de longe, e pareciam querer repetir a mesma frase de camarote. deviam se sentir salvas separadas por quilômetros de água daquela muvuca. eu também queria estar lá. num navio daqueles. só para que a gente não tivesse dúvidas de onde estávamos. vi alguns cracudos trombando as pessoas na areia com esperança de arrancar alguma coisa dos seus bolsos. e confesso que cavuquei o chão com os pés à procura de algum objeto perdido. um gringo alcoólatra caía em minhas costas. enquanto a minha mina sussurrava em meu ouvido. feliz ano-novo…

 

Cidade de Deus
Por Valéria Barbosa

Te conheci em 1964,
Quando modifiquei a minha vida
E passaste a fazer parte dela.
Vinhas de uma favela que muito
Amava e para minha surpresa
Não achei favela e sim,
Uma linda cidade.
Cidade que plantei o amor,
Cidade que lágrimas deixei rolar,
cidade que abraça os amigos,
Os ancestrais dos meus filhos;
Te quero ver reluzir, seja
Na Sapucaí, seja na educação,
seja na arte que envolve o teu povo,
seja através dos idosos, das crianças,
seja através da luz do amor.
Cidade que alimenta com a tua vida.
Quero-te no monte mais alto, como Moisés,
A proteger a tua vida. Oh! Minha Cidade Querida,
Devo-te este afago, poetar-te é um prazer,
Viver em paz contigo, obrigação de pessoa.
Quero mais vida ter para poder em ti plantar
Os versos de quem te ama e que vive a sonhar
Que serás um dia prosa, notícia cheirando a
rosa e falarás aos senhores que em ti moram
doutores, população vencedora que sobrevive
às criticas sem um programa solucional.
Já podes criticar.

 

1 comentário sobre ““Que cidade é essa?” – Por três quebradeiros do barulho!”

Deixe uma resposta