[polo] Quebradeiros de Manguinhos abrem o coração

O semestre no Polo Avançado de Manguinhos foi muito especial. Tanto que os Quebradeiros abriram o coração e contaram suas impressões sobre a Universidade das Quebradas. Confira:

O que se quebrou nas QUEBRADAS?!!
Gleide Guimarães Alentejo

A UNIVERSIDADE DAS QUEBRADAS chegou na minha vida em um momento difícil. Havia chegado ao fim meu sonho de estudar História, na Universidade Gama Filho. Saí brigando comigo para convencer-me de que, apesar de não estar preparada para “aquela” universidade, não deveria desistir. Mas, confesso que a dor da derrota foi grande.

Falando em dores, o LTM (Laboratório Territorial de Manguinhos) passa por um momento de crise, onde repensamos nossa prática e o papel do morador enquanto pesquisador. E com tempo sobrando, de repente eu precisava ocupá-lo e com qualidade. Estava ávida por novidades.

Havia sabido das QUEBRADAS no ano anterior, mas só esse ano pude aproximar-me para entender seus objetivos. Estimulada por um amigo e funcionário da BPM, fiz a inscrição e a entrevista no último momento, quase que a porta se fecha. Já na entrevista, comecei a gostar da proposta, percebi que esse curso poderia trazer conhecimentos interessantes para pessoas que, como eu, sonharam com um curso universitário. Seria um estímulo, uma degustação, bem como uma oportunidade de vivenciar a aquisição de conhecimentos um pouco mais aprofundados sobre temas que estão aparentemente tão distante de nós, como Filosofia e Psicanálise, mas que na verdade temos contatos diários com cada um. Eles estão no nosso dia a dia, como o arroz e o feijão. E não fiquei enganada.

O programa apresentado foi outro elemento estimulante. A possibilidade de conhecer professores como Joel Rufino e Elisa Larkin Nascimento encantou-me, aguardei com ansiedade a CHEGANÇA, a apresentação dos novos QUEBRADEIROS. Aprendi muito enquanto me divertia com a performance de cada um, foi um momento mágico. A ciranda foi como voltar à infância e brincar de roda. Usar a lata de tinta e “pixar, ou seria grafitar”. Foi como brincar de desenhar, eu pude deixar minha marca, mas o melhor ainda estava por vir.

No módulo ANTIGUIDADE o professor Charles Feitosa nos apresentou de maneira leve Platão e Aristóteles, sua visões diferentes e, ao mesmo tempo, complementares sobre o Relativismo eu Realismo. Faltei a aula do professor Henrique Cairus , mas recorri ao resumo da aula publicado no blog, uma boa ideia para reforçar conteúdos dos que estavam presentes e auxiliar aos que faltaram, gostei. Amei a aula do professor Aderaldo Luciano e a todas as da Beá Meira, pela paixão que eles tem e passam nas aulas, é bom ver o profissional apaixonado pelo que faz.

Os TERRITÓRIOS foram um momento à parte, capítulo especial. A integração entre os QUEBRADEIROS, os conteúdos por eles trazidos e a possibilidade de ver as histórias de suas comunidades, permitiu-nos perceber como as ações das Políticas Públicas são bastante semelhantes, bem como nossas próprias histórias vivendo sob elas. Em meio à novidades, vimos como a história é cíclica.

Voltando às aulas ministradas por apaixonados professores, pude ver a influência das culturas ancestrais, desde a longínqua Grécia ou Egito ou ainda de nossa mãe África. Como um todo, estão presentes e agentes em nós, na construção de nossos barracos de estuque, nas nossas histórias infantis e em costumes, os quais nunca nos perguntamos porque fazemos assim e não de outro jeito.

Valeu a pena ter estado nas QUEBRADAS todas essas tardes de quinta-feira. Mas, voltando a pergunta inicial, O QUE SE QUEBROU NAS QUEBRADAS? Penso eu:

– Quebrou-se o pensamento de que, por sermos de origem pobre, estarmos em comunidades de baixa renda e já “avançados em idade” não poderíamos aprender novos conhecimentos;
– Quebrou-se a ideia de que “certos conhecimentos não nos interessariam”;
– Quebrou-se o conceito de que nos territórios menos favorecidos não há cultura;
– Quebrou-se que academia e comunidades têm objetivos diferentes em relação à cultura, quando na verdade eles deveriam ser complementares.

Acho que é isso. Estamos todos de parabéns e passo a fazer os agradecimentos. Agradeço a competência dos professores convidados. dos organizadores, dos ex-quebradeiros colaboradores e da direção da BPM, juntos se constituíram como uma equipe super safa que não deixou a bola cair. Não vi problema que não fosse resolvido rapidamente, dessa forma as atividades ocerreram dentro da normalidade.
AS QUEBRADAS QUEBRARAM PARADÍGMAS E DEIXARAM SUA MARCA.

 

HAROLDO CESAR

VIM NO BOLSO VIM NA BOLSA
VIM NA PASTA NA LAPELA
VIM DE LONGE VIM DE PERTO
VIM DE LOJAS E FAVELAS
SEM QUERER E SEM SABER
JÁ FIQUEI DE SENTINELA

VI PESSOAS DESLUMBRADAS
ESPANTANDO A SONECA
VI CRIANÇAS EDUCADAS
JUNTO A OUTRAS BEM SAPECAS
CONTENTE POR CONHECER
A BELA BIBLIOTECA

ERAM LIVROS E MAIS LIVROS
NAS ESTANTES DO SABER
CONTEÚDOS VARIADOS
PARA QUEM QUER APRENDER
UM LAZER BEM PRAZEROSO
PARA QUEM GOSTA DE LER

DIVERSÃO PRA TODO GOSTO
PARA TODAS AS IDADES
O MELHOR INVESTIMENTO
PARA A TAL COMUNIDADE
DÁ PRA VER EM CADA ROSTO
TAMANHA FELICIDADE

ERAM TANTAS OPÇÕES
QUE A GALERA SE FARTOU
GENTE FOI A VIDEOTECA
OUTRAS PRO COMPUTADOR
DIVERSÃO PRA TODO MUNDO
DE ESTUDANTE A DOUTOR

UM LOCAL ABENÇOADO
E LOTADO DE RECURSOS
COM PESSOAS ESTUDANDO
PRA PODER PRESTAR CONCURSO
FUI CARREGADA PRA SALA
ONDE HAVERIA UM CURSO

O ENCONTRO DOS ALUNOS
BUSCANDO SABEDORIA
A CADA UM QUE CHEGAVA
DEMONSTRAVA ALEGRIA
SINAL DE TRANQUILIDADE
EM CLIMA DE HARMONIA

UM LUGAR ABENÇOADO
ONDE BORBULHA CULTURA
COM ARTE PRA TODO LADO
E BOA LITERATURA
UM ESPAÇO RESERVADO
NUMA BOA ESTRUTURA

SUBINDO MAIS UM POUQUINHO 7
SUPRINDO QUALQUER PARADA
ENTRE AFAGOS E CARINHOS
NOS CAMINHOS DAS QUEBRADAS
ONDE A ARTE E A CULTURA
SEMPRE SÃO INCENTIVADAS

OS AMIGOS VÃO CHEGANDO
CULTIVANDO A ALEGRIA
CHEGA SAMBA CHEGA DANÇA
HIP HOP E POESIA
FUNK CHARM E GRAFITE
VIDEO E FOTOGRAFIA

UMA CHUVA DE CULTURA
COMO A MUITO NÃO SE VIA
UMA NUVEM DE TALENTOS
RENOVADA A CADA DIA
EM RITMO ACELERADO
ENCANTADO POR MAGIA

ADERALDO LUCIANO
É O GRANDE PROFESSOR
AUTORIDADE EM CORDEL
QUE A ELITE QUESTIONOU
E A ACADEMIA DO RIO
NUNCA O VALORIZOU

O CORPO SEMPRE ACOMPANHA 9
A MENTE NA FANTASIA
O ROSTO FAZ A CAMPANHA
NA FACE DA ALEGRIA
É CERTO VER UM SORRISO
EM FORMA DE POESIA

ABRIU-SE A PORTA DA SALA
TODOS ENTRAM BEM LIGEIRO
PARA ASSISTIR AS AULAS
DO PROFESSOR FESTEIRO
QUE INTERAGEM COM OS ALUNOS
QUE SÃO TODOS QUEBRADEIROS

A AULA SOBRE CORDEL
ERA BOA E ENCANTAVA
A FALA DO MENESTREL
TODO MUNDO OBSERVAVA
NA MEMÓRIA E NO PAPEL
TODO MUNDO REGISTRAVA

ADERALDO ENSINOU
O CORDEL QUE É MARAVILHA
OITO SÍLABAS POÉTICAS
SETE VERSOS É SEPTILHA
VEM COM 32 ESTROFES
MAIS COMUM É A SEXTILHA

LEANDRO GOMES DE BARROS 11
FOI O PAI DO CORDEL
UM QUE OUTROS HOMENS
PRA ELE TIRAM O CHAPEL
NO VIDEO TODOS ASSISTIRAM
O LOBISOMEM E O CORONEL

O PROFESSOR ADERALDO
SAIU MUITO SATISFEITO
SENDO ASSIM CLASSIFICADO
COMO ÓTIMO SUJEITO
E FOI MUITO APLAUDIDO
PELO MUITO QUE TEM FEITO

QUEBRADEIROS QUE NÃO FORAM
PERDERAM OPORTUNIDADE
DE SABER SOBRE O CORDEL
E DE VIVER ESSA AMIZADE
E A TROCA QUE É A RAZÃO
DESSA UNIVERSIDADE

MÔNICA E OS BONECOS
O BOM SAMBA DAS QUEBRADAS
A MENÇÃO A ZÉ RAMALHO
QUE À GRÉCIA FOI COMPARADA
UM FIM QUE DEIXOU SAUDADES
E A TURMA EMOCIONADA

É SIM É DE ARREPIAR
ESTA CLASSE É DA PESADA
PRISCILA COM O FUNK NOVO
HADASHA COM A BATUCADA
RENATO E O BOM SOPRO
APLAUSOS CHEGAM AO TOPO
ESSA GALERA É DANADA

O CHARM DA ZONA OESTE
A TEREZA COM O SAMBA
POESIA CANTO E DANÇA
CADA ARTE COM O SEU BAMBA
SE VÊ EM CADA SEMBLANTE
A CULTURA BORBULHANTE
É BACANA PRA CARAMBA

É UM LUGAR DE SONHO
TRANSBORDANDO DE FUTURO
SEM BARREIRA SEM ABISMO
SEM DISTÂNCIA E SEM MURO
COM DESTINO DEFINIDO
EM UM PORTO BEM SEGURO

É UM LUGAR DE SONHO
ONDE NÃO EXISTE MEDO
SE O PASSADO FOI TRISTONHO
COM MISTÉRIOS E SEGREDO
NADA MAIS VAI SER MEDONHO
O PRESENTE É RISONHO
E O FUTURO CHEGA CEDO

O VOLUME DAS PESSOAS 15
EM BUSCAR CONHECIMENTO
DEIXA CLARO QUE O GOVERNO
ACERTOU NO INVESTIMENTO
RECENDO Á REBOQUE
E REFORÇANDO NO ENFOQUE
VÁRIOS ENTRETENIMENTO

NUMA GOSTOSA CHEGANÇA
EM MANGUINHOS DEBRUÇAVA
UMA UNIVERSIDADE
REALMENTE DAS QUEBRADAS
ONDE A ANSIEDADE
VIVE COM A NOVIDADE
NUMA TURMA DA PESADA

VI UMA UNIVERSIDADE
QUEBRANDO QUALQUER PRECEITO
DESTROÇANDO OS PARADIGMAS
OS TABUS E OS PRECONCEITOS
SEGUINDO UM NOVO DESTINO
ONDE A FORMA DE ENSINO
É MESMO DE UM NOVO JEITO

UMA UNIVERSIDADE
DIFERENTE BEM PRA CIMA
AS PESSOAS INTERAGEM
NUMA TROCA QUE ANIMA
UMA CHAMA SE ACENDE
QUEM VEM ENSINAR APRENDE
QUEM VEM APRENDER ENSINA

EU VI TUDO DE PERTINHO
A TUDO ACOMPANHEI
FUI TRATADA COM CARINHO
MEU PAPEL DESEMPENHEI
DEIXEI TUDO MARCADINHO
NOS CAMINHOS QUE TRACEI

QUANDO ME VI ENTRE OS DEDOS
CONFIRMEI A ASSINATURA
CADA QUAL COM O SEU JEITO
CADA JEITO UMA ESTRUTURA
MAS O AR DE SATISFEITO
ESTAVA EM CADA FIGURA

VOU VOLTAR PARA ALGUM BOLSO
DEPOIS DESSA LINDA JORNADA
ORA COM A MISSÃO CUMPRIDA
AGUARDANDO OUTRA PARADA
REPOUSADA EM UM ESTOJO
COM SAUDADES DAS QUEBRADAS

QUE BACANA ESSA AVENTURA
MAIS UMA BELA FACETA
NÃO IMPORTA A ESTRUTURA
O TAMANHO OU A ETIQUETA
FOI BOM ESTAR COM VOCES
MUITO PRAZER EU SOU A CANETA

 

“EU” SOU “ELE”…
Marcelo Guedes Veltri

Bom, entrei como “EU” e sai sendo “ELE”.
Uma afirmação engraçada, mas real…
A “QUEBRADAS” me fez uma outra pessoa, entrei pensando uma coisa sai sabendo outra.
Informação pra transformação. Sociedade para o indivíduo ou o indivíduo para a sociedade.
Dois sentidos em uma mesma direção.
O aprendizado de um cordel, em um mundo de romantismo.
Uma dança sem música na Africa.
A psicanálise para entender a luta para termos um teto que nos é de direito.
A arte na antiguidade pra falarmos em uma língua ao qual não entendemos.
Essa é uma relação de família e lar, que quando entramos na biblioteca sentimos. Vamos para o Flamengo e vemos amigos que não conhecíamos, colegas que não sabemos os nomes. Mas apenas pessoas que como “EU” se transformam no “ELES”, para um bem muito maior….e saio com plena certeza que todos que conheci, já sabiam de minha existência. Como Artistas ou como cidadãos não importa. Pois a semente tá lá… sendo regada com conhecimento e uma áarvore que vai nascendo sem saber oque vai ser.
Sabemos que de alguma forma usaremos. Pra saborear os seus suculentos frutos ou descansarmos em sua densa e fresca sombra.
Não importa, o que é agora e sim o que vai ser, essa base volátil de aluno, professor e ensino. Onde todos ensinam, todos aprendem e todos se modificam.
Volto pra Manguinhos e não conheço mais ninguém, pois ELES não estavam lá na aula anterior. Nem eu, pois saí da sala diferente, como todos. Mas com um sentimento de missão cumprida e com uma responsabilidade maior nas costas, de fazer a minha comunidade saber ser o meu lar.
Conhecimento é o ato ou efeito de abstrair ideia ou noção de alguma coisa.
Mas nas “QUEBRADAS” tem outro conceito muito maior que nos dicionários.
Não consegue se escrever o que podemos ver nos olhos de quem recebe um ato de AMOR, que é o de compartilhar o que sabemos.
Por isso “EU” me despeço com a certeza de que “ELE” voltará pra ser outra pessoa muito melhor em um futuro, que “NÓS” veremos.

 

MANGUINHOS
Luiz Claudio Barreto do Nascimento

Manguinhos em transformação
Tu és noticias a todo o momento
Em toda hora
Até com a garota do tempo
Radiodifusão afora
Ou nas páginas do zero hora
Como faixa de gaza
Tu foste comparada
Na mídia do sangue
Só divulgação da porrada
Mas tu és mangue
Berçário da vida
Útero cultural…

Deixe uma resposta