Quem fala certo: eu ou você?

No próximo encontro, Sandra e José Henrique convidam você a pensar essa questão, não para dar uma resposta certa, mas para refletir sobre a riqueza e a variedade do nosso idioma. Vamos ver que a língua está em constante movimento e que uma mesma pessoa usa a língua de diferentes maneiras, de acordo com as situações de comunicação. Vamos indagar se é importante ter acesso à variedade culta da língua. E perceber que respeitar as diferenças implica entender e valorizar a diversidade linguística, por meio da qual se manifesta toda a riqueza da nossa cultura.

E por falar em cultura, veja estes versos de Camões:

Os bons vi sempre passar
no mundo graves tormentos;
e, para mais m’espantar,
os maus vi sempre nadar
em mar de contentamentos.
Cuidando alcançar assim
o bem tão mal ordenado,
fui mau, mas fui castigado.
Assim que, só para mim
anda o mundo concertado.

Você acha difícil entender o que dizia o poeta lá no século XVI?

5 comentários sobre “Quem fala certo: eu ou você?”

  1. Nossa, que coisa linda, o pensamento politicamente correto se colocando contra o ensino da gramática!! Que coisa assim, como diria Caetano, luau…Penso que os intelectuais que questionam a existência de um cânone gramatical não devem se importar se alguém com um grau menor de instrução tomar seus postos na academia. O blog Arcanjo Suburbano veio para divergir dessa pataquada que virou o pensamento politicamente correto presente no projeto de transformação social de vocês.

  2. Refleti sobre o dia 18 de setembro de 2012.
    Comentando a ocorrida palestra do parceiro MC Marechal
    Que realmente mostrou-se contundentemente fenomenal,
    Sigo também falando da sempre provocadora e eloquente aula de nossa auxiliadora
    Das melhores és nossa professara
    Sandra Portugal
    Você é a tal!
    Escrevi por estar tão empolgado
    Pois, não me senti massa de manobra…
    Ou como um comestível comum gado…
    Assim,
    Fazendo-me em palavras me pronunciei revelando os:

    “Alienados & Alienígenas”
    O cerceamento da mente aliena os que querem alienar.
    … E no final muitos se transformam em alienados,
    E os poucos que verdadeirante pensam, em alienígenas.
    É a sina do hodierno paradigma.

    (thinkg poetry slam)
    by
    Feijah’N

    1. Emilia, concordo com você. Não se trata de se opor ao ensino da gramática, mas de entender que a lingua é viva e está sempre em transformação. A força desta transformação está além das possibilidades legislativas.

Deixe uma resposta