Rio Occupation London, pós aula

A segunda aula do semestre nas quebradas foi ministrada pelo professor de Artes Cênicas e Desempenho no Queen Mary, University of London, Fellow of the Royal Society of the Arts e diretor do People’s Palace Projects, Paul Heritage. Além de ser especialista em Shaskepeare, ele também criou o Centro de Teatro nas Prisões [Tipp Centre] na Inglaterra em 1992 e, durante 15 anos, dirigiu trabalhos teatrais no presídio de Bangu, no Rio de Janeiro. Sua aula teve como foco principal a interação realizada através de intercâmbios culturais como as olimpíadas culturais.

Os Jogos Olímpicos de Londres 2012 não foram só para celebrar os mais rápidos, fortes e habilidosos. Eles também promoveram as olimpíadas culturais, que existem na forma moderna do evento, desde 1893. Uma grande programação de eventos culturais, da dança de rua aos shows de música pop, das instalações artísticas aos concertos de ópera, do teatro aos festivais de rock, dentre eles está o Rio Occupation London (produzido pela secretária de estado do Rio de Janeiro e também idealizado pelo professor Heritage).

Rio Occupation London foi uma ocupação artística que levou 30 dos artistas mais inovadores do Rio para Londres, com o intuito de ocupar ruas, palcos e instituições de Londres durante os Jogos Olímpicos de 2012. Os jovens artistas baseados no Battersea Arts Centre, ocuparam mais de 50 espaços, apresentando mais de 250 obras e performaces para um público de mais de 37.000 pessoas.

Também rolou uma dinâmica de grupo, muito interessante entre os quebradeiros, na qual se propunha observações e questionamentos em relação aos projetos citados e o material gráfico produzido por Paul Heritage, Gringo Cardia e Heloísa Buarque de Hollanda. As opiniões foram das mais diversas em relação às cores, objetivos, público alvo, entre outros, o que enriqueceu bastante o debate. Heritage, em sua finalização, indagou sobre o desejo e aspirações dos quebradeiros em relação às olimpíadas culturais que vão ocorrer no Rio em 2016.

Links:
http://www.cultura.rj.gov.br/riooccupationlondon/ ( vídeo sobre o projeto)
http://www.riooccupationlondon.com/ (site oficial)

Otavio Neto – Bolsista PIBEX PACC\UFRJ

5 comentários sobre “Rio Occupation London, pós aula”

  1. ESTA AULA FOI UMA QUE GEROU MUITA POLEMICA ATÉ PORQUE NAS PERIFERIAS TEMOS VÁRIOS TALENTOS QUE PODERIAM SER APROVEITADOS NESTE FESTIVAL OU EM QUALQUER OUTRO TEMOS QUE DAR PRIORIDADE A OS ARTISTAS QUE ESTÃO COMEÇANDO . CLARO QUE COM TALENTO TEMOS QUE TEM A CORAGEM DE NÓS MOSTRAR E NÓS POSICIONAR

  2. Paul Heritage, professor de artes cênicas, chegou cheio de animação, saudando os quebradeiros com seu português carregado de um sotaque inglês.
    Muito carismático nos contou sobre o projeto Rio occupation London, que reuniu trinta artistas brasileiros de diversas expressões por trinta dias em uma casa para um processo criativo coletivo, na ocasião das olimpíadas culturais de Londres, ocorridas em 2012.
    Resumiu rapidamente sobre o processo de escolha desses artísticas o que gerou questionamentos diversos.
    Paul recebeu como um gentleman as críticas mas depois nos devolveu a responsabilidade, na forma de uma dinâmica de grupo, solicitando uma reflexão de como poderiam ser as olimpíadas culturais aqui no Brasil e quais seriam os nossos critérios de seleção dos artistas que dela participariam?
    Houve um consenso com relação à necessidade do Rio ocupar o próprio Rio, pensando nessa característica cosmopolita da cidade.
    Foi muito interessante essa palestra com o Paul e um excelente exercício com a utilização de alguns conceitos de gestão cultural.
    Muito acalorada mas nem por isso menos importante. Nos revelou facetas dessa dimensão do produtor e gestor de cultura.
    Pena que não fui sorteada no catálogo que estava lindíssimo e de altíssima qualidade.
    Até a próxima aula!

Deixe uma resposta