Poesia de Cordel, por Haroldo Cesar

AMOR DE PALHAÇO

OLHA O CIRCO NA CIDADE
CHEGANDO PARA BRINCAR
VAI SORRIR COMUNIDADE
PRA NINGUÉM PODER CHORAR
POIS O CIRCO NA VERDADE
TÁ CHEGANDO PRA ALEGRAR

A LONA VEM NA BAGAGEM
DE UM CAMINHÃO SONHADOR
A TROPA PEDE PASSAGEM
PRA ARTE QUE VEM COM AMOR
AVISA A TODA A CIDADE
GENTE, O CIRCO CHEGOU

A LONA VAI SE ERGUENDO
O PALCO VAI SE MONTANDO
O CAMARIM SE MEXENDO
ARTISTA SE APRESENTANDO
ARQUIBANCADA ENCHENDO
E O SHOW VAI COMEÇANDO

O DOMADOR ENVOLVENDO
O MÁGICO ENCANTANDO
O COSPE FOGO FERVENDO
O TRAPEZISTA VOANDO
VÁRIOS PALHAÇOS CORRENDO
E UM PALHAÇO CHORANDO

MUITOS NÃO ENTENDIAM
UMA COISA QUE INTRIGAVA
PORQUE ISSO ACONTECIA?
TODO MUNDO PERGUNTAVA
SE TODOS PALHAÇOS SORRIAM
PORQUE SÓ ESSE CHORAVA

PALHAÇO PINGO DE CHUVA
ERA O NOME QUE ELE USAVA
RESOLVEU MOSTRAR EM VERSOS
O PORQUE QUE ELE CHORAVA
UMA BELA NA PLATEIA
QUE POR VENTURA ELE AMAVA

NO FUNDO ELE JÁ SABIA
NÃO PODIA SE ENVOLVER
AMOR DE PALCO E PLATEIA
PALHAÇO NÃO PODE TER
A LEI DA PALHAÇARIA
NÃO DEIXA ISSO ACONTECER

UM PALHAÇO APAIXONANTE
AMAVA TUDO QUE VIA
DE UMA FORMA ALUCINANTE
AMAVA COM SIMPATIA
MAS FOI DE MANEIRA ERRANTE
AMAR A QUEM NÃO PODIA

UMA JOVEM MUITO BELA
CHAMOU A SUA ATENÇÃO
GARGALHAVA NA PLATEIA
ELE ROLAVA NO CHÃO
SEM QUE ELA PERCEBESSE
CONQUISTOU SEU CORAÇÃO

ELA RIA RIA RIA
ELE VIA UMA PAIXÃO
QUANTO MAIS GRAÇA FAZIA
ELA RIA ATÉ O CHÃO
QUANTO MAIS ELA SORRIA
ELE PERDIA A RAZÃO

NO INTERVALO DA SESSÃO
NO CAMARIM UM CONSELHO
SE LIGA MEU CARO IRMÃO
VÊ SE OLHA NO ESPELHO
AO SE OLHAR ELE ENTÃO
VIU SEU OLHO BEM VERMELHO

DUAS LÁGRIMAS ROLARAM
PARALELAS COM O NARIZ
UMA DIZ PRA ELE PÁRA
A OUTRA SABE O QUE DIZ?
VÁ EM FRENTE NÃO DESISTA
LUTE E TENTE SER FELIZ

NO ESPELHO REFLETIA
PARA ELE COM CLAREZA
AQUELE ROSTO QUE VIA
DE TAMANHA BELEZA
COM CERTEZA ELE SABIA
ERA UM ROSTO DE PRINCESA

ENQUANTO ISSO NO PALCO
ANIMAIS ERAM DOMADOS
MÁGICOS MALABARISTAS
TRAPEZISTAS RENOMADOS
MALANDROS EQUILIBRISTAS
ARTISTAS DANDO O RECADO

O AMOR PELA PRINCESA
QUE ELE NÃO ACREDITAVA
O FEZ FAZER MAIS PIRUETAS
CARETAS E PALHAÇADAS
QUANTO MAIS ELE BRINCAVA
MAIS ELA DAVA RISADA

QUANTO MAIS SE DEDICAVA
MAIS A PRINCESA RIA
QUANTO MAIS SE ENCANTAVA
MAIS O CIRCO ENCHIA
O POVO NA ARQUIBANCADA
MUITO MAIS O APLAUDIA

UM DIA O CIRCO LOTADO
QUE NÃO CABIA MAIS GENTE
ELE ESTAVA PREPARADO
PARA UM ATO DIFERENTE
O PALHAÇO ESTAVA OUSADO
INSPIRADO E CONTENTE

ELE ABRIU SEU CORAÇÃO
CONFIANTE NO AMOR
SE ENCHEU DE INSPIRAÇÃO
ARRISCANDO SE EXPOR
FOI NO MEIO DO POVÃO
E DEU A ELA UMA FLOR

ELA MEIO CONSTRANGIDA
COM O ROSTO LINDO E LISO
COM A ROSA RECEBIDA
FEZ O QUE FOI PRECISO
ELA MUITO AGRADECIDA
RETRIBUIU COM UM SORRISO

O PALHAÇO FAZ A GRAÇA
DO JEITO QUE FOR PRECISO
DIRECIONADO PRA MASSA
QUE O ABRAÇA COM SORRISO
MAS O RISO DA PRINCESA
PRA ELE ERA UM AVISO

ELA ERA A SUA DANÇA
ERA O TUDO PRO SEU NADA
FELIZ COMO UMA CRIANÇA
NO MEIO DA PALHAÇADA
ELE TINHA A ESPERANÇA
DE TE-LA COMO NAMORADA

NA PLATEIA A PRINCESA
LHE DAVA MAIS INSPIRAÇÃO
E DO PALCO COM LEVEZA
ELE LEVANTOU A MÃO
E COM MUITA SUTILEZA
FEZ DO GESTO UM CORAÇÃO

O PALHAÇO NA CIDADE
COM TERNURA E SUTILEZA
NA DOCE SIMPLICIDADE
SINCERIDADE E LEVEZA
CONQUISTANDO NA VERDADE
O CORAÇÃO DA PRINCESA

NO OUTRO DIA ANIMADO
FEZ DO PALCO O SEU LAR
CADA VEZ MAIS INSPIRADO
NÃO PARAVA DE PULAR
MAS FICOU DESANIMADO
POIS NÃO VIU ELA CHEGAR

OLHAVA PRA ARQUIBANCADA
PROCURANDO UM ALGUÉM
POR DENTRO ELE PENSAVA
SERÁ QUE ELA NÃO VEM?
QUANTO MAIS A PROCURAVA
NÃO ENCONTRAVA NINGUÉM

O PALHAÇO NUM CORTEJO
CADA VEZ MAIS INSPIRADO
PORÉM TEVE SEU DESEJO
LOGO INTERCEPTADO
A PRINCESA DEU UM BEIJO
NO SEU NOVO NAMORADO

MAS PALHAÇO QUE É PALHAÇO
NÃO SE ABATE COM A TRISTEZA
POIS SABE QUE HÁ UM LAÇO
DO PLEBEU COM A REALEZA
POIS CAMINHA NO COMPASSO
A UM PASSO DA NOBREZA

EIS QUE UM DIA DE REPENTE
NUN ANÚNCIO PEQUENINO
DE FORMA SURPREENDENTE
PELA VOZ DE UM MENINO
DIZ: O CIRCO VAI EM FRENTE
VAI SEGUIR O SEU DESTINO

CADA ESTACA ARRANCADA
O PEITO ARDIA EM CHAMAS
UMA LÁGRIMA ROLAVA
NO ROSTO DA NOBRE DAMA
ENTÃO TODOS RETORNAVAM
À VIDA COTIDIANA

NO LOCAL NÃO TEM MAIS CIRCO
NÃO TEM MAIS MALABARISTAS
SEM MÁGICOS DOMADORES
SEM ANÕES SEM TRAPEZISTAS
O PALHAÇO TÁ SEM CASA
TÁ NA RUA TÁ NA PISTA

A CIDADE ESTÁ SOMBRIA
NADA MAIS ALÍ ANIMA
FOI-SE EMBORA A ALEGRIA
CHORA MENINO MENINA
POIS AGORA O DIA A DIA
VOLTA PRA SUA ROTINA

CHORA O POVO E A REALEZA
POIS O CIRCO FOI EMBORA
ESTABELECEU-SE A TRISTEZA
EM QUEM NA CIDADE MORA
E O PALHAÇO COM CERTEZA
DE SAUDADE AINDA CHORA

Haroldo Cesar é quebradeiro da turma de Manguinhos
Foto: Diego Dacal / Fonte: Wikipédia

1 comentário sobre “Poesia de Cordel, por Haroldo Cesar”

Deixe uma resposta