Coletivo de Artes das Quebradas estreia belamente na ABL

A Universidade das Quebradas tem mais um motivo para se orgulhar de seus alunos. Dia 21/10 estreou em grande estilo o Coletivo de Artes das Quebradas, que apresentou durante o XVIII Congresso Nacional de Estudos Clássicos na Academia Brasileira de Letras a leitura dramática do trecho inicial de “O Banquete de Platão – Martelo Agalopado” escrito por Numa Ciro em Cantoria Nordestina, também conhecido como A Peleja entre o Verso e a Prosa.

Confira as fotos de Mauricio Medeiros

Veja o agradecimento de Numa Ciro:
“Queridos Quebradeiros,
Anick, Clarice, Graça, Hare, Noélia, Romualdo, Sérgio, Tetsuo, quero agradecer muitíssimo a vocês, pelo empenho, por acreditar no texto e querer dizê-lo, por tantos e tantos dias de leitura, de ensaio, de dedicação.

Acredito que o teatro do Coletivo de Artes das Quebradas estreou belamente e onde? na ABL, no mesmo lugar onde eu, em 1986, fiz a minha estréia nos palcos do Rio de Janeiro. Pintada por Hildebrando de Castro e cantando “Surabaya Johnny” de Brecht e Kurt Weill.

Na verdade, o Banquete de Platão em martelo agalopado criou a República poética nas quebradas do Platão.

Que Eros, o Amor, seja o deus a guiar as nossas parcerias nas quebradas.

Gracias a Maria Dias que nos recebeu e providenciou nosso último ensaio na quinta, lá no Forun. Precisávamos imprimir os textos e faltou luz no Céu. Lena foi 10.

Um agradecimento especial aos que foram prestigiar nossa apresentação.

Rô, como sempre, ali, firme. Não acreditei, quando ela no final de tudo, tirou um banquete da sacola. Ninguém foi para casa ou pro trabalho com fome. Tudo foi fotografado.

Coeli!!! que bom que você foi.
Maurício, com sua máquina de fazer retratos, como foi bom vê-lo chegar!

Joana, Marcelo, Firmino, Letícia, Santiago… e ainda levaram amigos e parentes… como os meus também…

Sílvia Ramos, conselheira das quebradas, com nossa amiga Márcia Neves.
Nietta Monte, professora das quebradas e André Cauty.

Por favor, me ajudem se esqueci alguém. Lembrem-se da aula de psicanálise: Os lapsos e esquecimentos não são contra quem foi esquecido. Fazem parte da piração de quem esqueceu.

BEÁ!!!!!! sin palavras… Buenos Aires que te receba com tangos e vinhos, e muita arte.
Amaramada! Sentimos sua falta e sabíamos que você estava impedida de sair de casa.

Heloisa, Queridíssima: que surpresa quando você chegou!!! Todos lá no banquete em Atenas também esperavam Sócrates para começarem o simpósio: “sem o mestre não tem graça conversar”. Sua presença acalmou meu coração e esquentou minhas mãos geladas… E ainda levou Charles Siqueira, grande liderança em trabalhos comunitários.

Finalizo deixando um agradecimento em versos, que tinha escrito, também em martelo, para Henrique Cairus e Tatiana Ribeiro pelo convite feito às quebradas. As Quebradas no XIII Congresso de Estudos Clássicos.

Σε ευχαριστώ pelo seu convite.
fiquei platonicamente engregada.
socrática… aristotélica… encabrestada,
sonhei cavalgando sem limite,
no ritmo do martelo estalactite,
um cavalo-de-pau voltando atrás,
evitando a pior guerra contra a paz
entre gregos e troianos. e eu com isso?
estou no meio d’eles dois e sou narciso
se olhando nas belezas imortais.
Um beijo,
Numa Ciro”

Faça o download de O Banquete de Platão escrito por Numa Ciro

Foto: Mauricio Medeiros

Deixe uma resposta