Próxima terça tem Território das Quebradas

A cada novo amanhecer, nos preparamos para mais um dia. Planejamos nossos horários, nossos afazeres, mas estamos à mercê dos acasos e imprevistos, e por mais que imaginemos como nosso dia será, só o saberemos mesmo quando ele já tiver passado.

Tem dias que acordamos com uma disposição de super-herói, querendo abraçar o mundo! Outras vezes, temos compromissos que nos exigem um esforço tão grande para suportá-los que precisamos agir como se fôssemos outra pessoa! Talvez você consiga pensar em outras situações e exemplos parecidos, não é mesmo?

Será então, que isso significa que atuamos e interpretamos diferentes papéis dentro de uma só vida? Será que temos vários personagens dentro de um só corpo? Quantos e quais seriam eles?

Você, que está lendo este texto agora, acha que tem um ou mais personagens dentro de si?

Que tal comentar um pouco sobre quantos e quais seriam? Aproveite e pense em qual gostaria de levar no próximo território, que é sobre teatro! Não se esqueça do figurino para caracterizá-lo!

Na mesa: Fábio Mateus, Bruno dos Santos Lopes, Breno Asbou, Iris Medeiros, Isabel Barreto, Claudina de Oliveira. Mediador Emílio Dante.

Texto Iris Medeiros, Ilustração por Beá Meira

12 comentários sobre “Próxima terça tem Território das Quebradas”

  1. É incrível como o teatro nos escolhe… Digo isto pela missão que nos foi apontada e que realizamos em pouco tempo e sem preparação. Nessas horas, o que vale é deixar-se levar e soltar o que vem à cabeça, o que vem da memória e do coração. Sempre teremos como colaborar e algo a colocar em nossas performances, seja nas artes, seja na vida. E vemos que a união das equipes fez aflorar a criatividade. Boa opção para superar limites – 5 peças curtas em 5 minutos…

  2. Parabéns pessoal do território de teatro. Vocês arrasaram. Mostraram que sabem, que podem contribuir com seus saberes e que dominam a linguagem do teatro. Souberam usar as dinâmicas teatrais para fortalecer os laços da turma e trazer felicidade para nosso fim de tarde. Obrigado. Bjs.

  3. Eu gostaria muito de falar sobre o teatro de Maya o deus da ilusão, o teatro é minha vida!
    Mas a pedido da mestra Angela abri mão de preparar minha fala sobre isso, e passei a bola para dar lugar aos Quebradeiros que ainda não se apresentaram na mesa território.
    Teatremo-“nus”!!! Evoé Baco!!!!… E Maya!!!

    Dessa vez vou atuar mais, só no Sarau mesmo!
    Merdaaaa pra nós!!!

  4. Eu me sinto um gladiador, forte que guerreia contra as dificuldades e adversidades da vida, quando passo por situações contrarias me sinto forte a enfrentar todas elas com mão de ferro e bravura, Esse sou, simples mais com uma força e fé que derruba todas as muralhas. Oremos.

  5. Tantos existem, muitos querem falar, mas no palco da vida quem tem lugar? Quem sabe, quem viu? E aqueles personagens que nunca conseguem falar? Por onde fazem presença? Quem sabe, quem viu? Será possível um lugar? O quê diz sim, o quê diz não?
    Quem sabe, quem viu?

  6. Esta questão é muito significativa, pois sempre me reinventei nesta vida e os diversos personagens que criei de mim, são a essência do meu Ser. Estes personagens deixam de ser representações e tornam-se essência deste estado contínuo em movimentos morosamente modificacionais em minha vida. O contador de histórias, o circense, o homem sensível, o homem sedutor/seduzido, o ator, o diretor, o dramaturgo, o Eu, o Nós, a minha coletividade está dentro da possibilidade de reinventação dos meus seres. Fico muito preso no meu Ser neste texto, pois a provocação feita é algo visceral para mim. Liberdade expressional X Movimento socialmente correto. Quem sou…??? Não sei, ainda. Busca contínua.
    Acho que levarei um dos seres que em mim existem, nesta terça-feira, eu acho.

  7. Milhoes de personagens…me veio um a cabeça…surpresa…mas adorei a provocaçaõ e a reflexão…
    …e o importante é experimentar…trocarmos experiências…isso é fundamental para nossa evoluçaõ!

  8. Pintei meu cabelo de vermelho, como um simbolismo.
    Desde que assumi as medeixas veremelhas disse ao mundo: NÃO MEXE COMIGO, TO PRONTA PRA GUERRA!
    Antes eu me sentia apenas a velha Sandrinha,cheia de sonhos e frágil.
    Carrego essa personagem por onde vou todos os dias,
    e realmente mudou algo dentro de mim.

Deixe uma resposta